20 de janeiro de 2006

Um romance sofisticado.

As orelhas e a contracapa de O Historiador não ajudam muito na hora do leitor optar por este livro, mas garanto, vale a pena. O romance tem Drácula de pano de fundo,mas não se trata de um livro sobre vampiros. O texto de Elizabeth Kostova é sofisticado e elegante, sem esbarrar no pecado de ser hermético ou pernóstico. Não posso deixar de mencionar a tradução de Maria Luiza Newlands, que garante um texto agradável, cuja leitura flui, diferente de muitas traduções que vemos pos aí... Tudo começa quando a filha de um diplomata entra na biblioteca do pai e depara-se com um livro estranho, de páginas em branco, com apenas a gravura de um dragão no centro. Dá-se início a uma caçada por manuscritos antigos espalhados pelas bibliotecas do mundo,Holanda, Turquia, Hungria, Bulgária. Mas essa história não fica apenas nos dias de hoje, a narrativa apresenta pelo menos três tempos distintos, chegando até o século XIII. Nesse caminho,leitor, somos prazeirosamente invadidos com informações da História do Mundo, de diferentes culturas. O romance foi traduzido para 28 línguas e seus direitos já foram vendidos para Hollywood. Confira a entrevista publicada pelo O Globo, em 14 de novembro de 2005, Segundo Caderno. Não desgrudei os olhos do livro, cujas 541 foram devoradas por mim em menos de uma semana. O livro é tão instigante que me deu vontade de fazer o Doutorado. Ficha Técnica O Historiador
Ano: 2005
Autor: Elizabeth Kostova Tradução: Maria Luiza Newlands Editora: Suma de Letras Páginas: 541

Nenhum comentário: