14 de dezembro de 2008

Outras Dicas de Natal da Livraria Timbre

Uma boa livraria deve ser viva. O que isso significa? Que precisa ter novidades, novas cores e formas que captem o olhar atendo do leitor, do cliente. Livrarias onde os livros não "respiram", tornam-se depósitos tristes e sem energia. A cada dia que entro na Timbre, novos livros surgem nas prateleiras, como se fosse um balé, onde um dá lugar ao outro para uma dança de pares. Esse balé facilita a busca do leitor por títulos novos ou por outros não tão recentes. É preciso estar atento às matérias que saem no jornal, ter os livros mencionados à mão. Seguir os livros adaptados ao cinema. Seguir a tendência de seus leitores. Oferecer autores de qualidade, às vezes não conhecidos do público, pois há poucos meios de divulgação do mercado editorial, comparado ao número de lançamentos. Há uma imagem romântica que persegue todo livreiro : a de que vive nas livraria somente para ler. Se não fosse o árduo e delicioso trabalho dos livreiros em escolher títulos, arrumar prateleiras e vitrines, preparar a casa para a festa de encontro dos livros com os leitores, com certeza, as pessoas não retornariam.
Bom, digo isso tudo para justificar que, além dos livros sugeridos no post anterior, surgem outras pérolas nas vitrines e prateleiras da Timbre.
Para os infantes, há o livro O Que É Que Tem o Meu Cabelo?, que tem como personagem um leão, de juba desgrenhada, que vem com espaços para as crianças colocarem seu rosto e ficar com jubas divertidas. Eu me identifiquei completamente com o leão! Não coloquei a imagem, mas outro livro que chegou e pelo qual me apaixonei foi 365 Pinguins. Ambos os livros muito bonitinhos e fofos!
Junto com a Agenda Carioca, temos agora o Guia de Restaurantes da Danusia Barbara e o Addresses, sempre úteis.
Na parte de Design de Interiores, a coleção The Way We Live In the City, By the Sea e With Colours. Se quiser conhecer mais sobre a coleção, leia meu post mais antigo sobre The Way We Live Alfresco.
E outro novo é New Art City, sobre o mundo das artes em Nova Iorque.
Na vitrine, há O Homem que Roubou Portugal, ná area de Jornalismo e que foi muito procurado no final de semana.
Como a livraria é viva, ao longo da semana vou apresentando outras novidades. Em tempo, já vou abrir o próximo livro da fila de leituras.
Surpresa até o próximo post O Que Estou Lendo Agora.

2 comentários:

Keila Vieira disse...

Gostava muito de ir à uma livraria em Belo Horizonte em que o dono deixava uma pilha dos livros que estava lendo em cima do balcão, o próprio adorava estar ali à disposição para indicar e fazer comentários sobre suas últimas aquisições. Sempre idealizo essa livraria como a ideal, lugar que procurava por um título e no fim adquiria mais dois ao contrário de grandes livrarias que me deixam confusa.

Abraços e feliz festas!

Nélida Capela disse...

As pequenas livrarias tem isso: charme e personalização. São pequenas, mas têm de tudo, como a Timbre.