27 de janeiro de 2009

Palestra sobre Edição Independente e Direito Autoral no Brasil

(Fotos João, Luiz, Corina e Jaury - por Nelida Capela, N6120 - fico devendo a qualidade do N95)
Aconteceu ontem à noite, no Espaço Rio Carioca, nas Laranjeiras (Rio de Janeiro, Brasil), palestra com Jaury Nepomuceno, do EDA (Escritório de Direitos Autorais) da Biblioteca Nacional; Corina Haaig e João Luiz Struchiner sobre Edição Independente e Direitos Autorais.
Ao chegar, aproveitei para testar o sistema wifi do local - funciona perfeitamente! Parabéns para Isabella e Felipe, o serviço foi maravilhoso! Não fiz o post na hora, simultaneamente, pois ainda não adquiri a habilidade, mas pode deixar que já, já farei os post online.
A proposta do encontro foi falar dos direitos autorais, sobre o serviço de books on demand e apresentar a escritora independente Corina Haaig, que contou a sua experiência até chegar à PodEditora e ter seu livro editado (on demand).
Pelo visto, o mercado editorial brasileiro está começando a amadurecer. Mas confesso, há muito caminho ainda. A questão do BookScan no Brasil ainda é tabu e a relação editor, livraria, autor e leitor muito frágil. Mas é um começo de conversa, um diálogo, onde a participação do leitor é importantíssima. O livro é um negócio, o leitor tem uma demanda e precisa ser ouvido (em muitas livrarias o leitor é ouvido-só os editores não sabem disso, ou sabem?).
Em tempo, informo que acompanho o amadurecimento do mercado editorial português, através do Twitter, especificamente nas redes da BlogTailors, e vejo que a discussão lá está num nível amadurecido, a ponto de encontrarmos cursos de Marketing do Livro, de Escrita Reconstrutiva, participação de twitters portugueses no Shorty Awards e a visibilidade dos números do mercado português como elemento de fortalecimento das relações entre editores, livreiros e autores. Será que vai demorar muito para haver uma demanda do mercado em relação a esses números? Por exemplo, a Nielsen UK estreou em 2008 seus serviços na Austrália e Nova Zelândia (novos mercados) e o resultado está bem satisfatório. Conversei em 2008 e agora em 2009 com o executivo Richard Knight (Operations Director da Nielsen Book) para saber quais as demandas para a implementação de um serviço desse, farei um post especial sobre esse assunto.
Além da questão do direito autoral e os novos direitos, com os commons, também foram colocadas questões sobre as diferenças entre os mercados brasileiro, europeu e americano; as novas redes e a recepção dos leitores; o itinerário do escritor num mercado onde o livro tem diversas formas, entre elas o papel e o eletrônico.
Foi, com certeza, uma noite muito rica para essa questão no Rio de Janeiro. Acho que deveriam ser promovidos outros encontros com mais editores (jovens editores incluídos), livreiros e autores cariocas, sobretudo para um diálogo catalisador entre as partes. Outra sugestão, chamar os bloggers do meio da literatura, quem escreve ficção, quem fala sobre mercado, quem fala sobre leitores.
Dá muito pano para a manga, ou melhor, páginas para o livro.
Para saber o que acontece sobre o negócio do livro no Twitter, acessem minha rede http://twitter.com/NelidaCapela

8 comentários:

guilhermina disse...

Bom saber que mesmo lentamente, mesmo engatinhando, mesmo com atrasos e entraves, a discussão está acontecendo. E você, um bocado antenada, hein!
Beijo
Guilhermina

Nelida Capela disse...

É, se quiser um mercado editorial de nível, temos que participar de alguma forma, divulgando e dialogando.Beijos para você Guilhermina!

Euzinha, mudando a Vida! disse...

Não acredito que perdi.
Vi a matéria no site do Bairro e me atrapalhei acabei não indo, uma pena! Além de bela matéria provavelmente teria te conhecido por lá.
Grande beijo!

Nelida Capela disse...

Pois é, Roseana!A palestra foi ótima, a Corina Haaig deu muita informação sobre escritores independentes.

Vilma Goulart disse...

Nélida,

Leia o texto abaixo (referente ao post que acabas de escrever):

"Acho que deveriam ser promovidos outros encontros com mais editores (jovens editores incluídos), livreiros e autores cariocas, sobretudo para um diálogo catalisador entre as partes. Outra sugestão, chamar os bloggers do meio da literatura, ..."

Quem sabe tu não promoves uma parada destas? Quem sabe não está aí uma oportunidade para dar um pontapé inicial no que tanto gostarias de fazer? Hein, hein? (rsss)

Nelida Capela disse...

Vilma, você é fantástica!

Euzinha, mudando a Vida! disse...

se precisarem de alguma ajuda, é só chamar.
beijo.

Nelida Capela disse...

Ok, Roseana!Pode deixar!