17 de fevereiro de 2009

Clube da Luluzinha indica seu 4º livro de 2009

4º livro na lista de leituras de 2009, O Menino que vendia palavras, chegou a minha mão por uma "encomenda" da escola onde leciono. Em ano de alteração dos conteúdos curriculares e mudança ortográfica, todas as ferramentas devem ser utilizadas para tornar a adaptação de todos (professores, pais e alunos) mas tranquila e divertida... Portanto, me foi destinada a tarefa de transformar este delicioso livro em peça de teatro! tomara que eu acerte...Bom, para saber mais....

"Um livro infanto-juvenil de Ignácio de Loyola Brandão.O protagonista deste livro é um menino que tem muito orgulho de seu pai, um homem culto, inteligente e que conhece as palavras como ninguém. Se os amigos do menino querem saber o significado de alguma palavra, é ao pai dele que sempre recorrem. Quer saber o que é epitélio? Alforje? Lunático? Ele sempre tem uma resposta.A curiosidade dos amigos é tão grande que o menino logo percebe: e se começasse a negociar o significado das palavras? Gorgolão? Vale uma fotografia de um navio de guerra. Enfado? Um sorvete de picolé, trazido pelo dono da sorveteria. Pantomima? Um chiclete.E assim começa seu “negocinho” no bairro, escondido do pai, é claro. O menino, sempre com um humor leve e envolvente, descobre como é importante conhecer as palavras, pois assim ele vai saber conversar, orientar as pessoas, explicar suas idéias e sentimentos, desempenhar melhor suas tarefas, progredir na vida, entender todas as histórias que lê e até mesmo convencer uma menina a namorá-lo! E, assim, vai aprendendo essas e outras lições valiosas e percebendo com seu pai o quanto a leitura é necessária, pois quanto mais palavras você conhece e usa, mais fácil e interessante fica a sua vida.Para escrever esta história, o jornalista Ignácio de Loyola Brandão inspirou-se em sua própria infância, na cidade de Araraquara, interior de São Paulo, nos anos 40. Seu pai, assim como o pai do personagem do livro, era um apaixonado pelas palavras que conseguiu formar uma biblioteca com mais de 500 volumes. Segundo Ignácio conta, foi o pai quem o incentivou a ler desde que foi alfabetizado. E revela outra verdade: sim, ele chegou a trocar com seus colegas de classe palavras por bolinhas de gude e figurinhas." (fonte: Editora Objetiva)

p.s. eu também sou de Araraquara! daí, os textos do Ignácio serem tão próximos ao universo dos meus alunos!...

p.p.s. eu RECOMENDO!

p.p.p.s. curiosidade: eu já trabalhei organizando a biblioteca particular do Ignácio.

p.p.p.p.s. esses tantos p.s. são influencia do 5º livro... aguardem!

(Texto de Zandali na íntegra)

2 comentários:

Vera Carvalho Assumpção disse...

Olá Nélida,
Adorei essa idéia de ler 50 livros em 2009. Estou começando um blog,
crimemisterio.blogspot.com.br e gostaria de me associar a esse "time" que está fazendo as leituras. Já li alguns livros esse anos, mas estou me iniciando nas artes do blog.
beijo grande
Vera

Nelida Capela disse...

Vera: seja bem-vinda ao Lector in Fabula. Compartilhe conosco suas impressões de leitura. Abraço, Nelida.