19 de fevereiro de 2009

É importante saber o que acontece no mercado editorial brasileiro

Nova Diretoria na Câmara Brasileira do Livro (CBL)
PublishNews - 18/02/2009 - Por Ricardo Costa
Depois de uma disputa forte durante o período de “propaganda eleitoral”, chegou ao fim nesta tarde o processo de eleição da nova diretoria da Câmara Brasileira do Livro (CBL). Ao encerrar as votações, o presidente da Assembléia, Eduardo Blusher (Editora Blusher), ressaltou: “Estão de parabéns as duas chapas, que se comportaram de maneira corretíssima no dia de hoje”. Com um total de 238 votos, a chapa Trabalho&Seriedade, liderada por Rosely Boschini (Editora Gente), foi reeleita com 77,73% dos votos (185 votos). Além de São Paulo, as eleições ocorreram também no Rio de Janeiro, na sede do SNEL (Sindicato Nacional dos Editores de Livros) e em Belo Horizonte, na Câmara Mineira do Livro. Ao final da contagem dos votos, em sua palavra à assembléia, Armando Antongini, que encabeçou a chapa Mudança&Participação, declarou: “Não há vencidos ou vencedores. Quem ganhou hoje foi o livro e a literatura”. A assembléia foi finalizada com a posse da nova diretoria e a presidente reeleita, Rosely, dirigiu-se ao grupo ressaltando a importância da união de todos para o contínuo crescimento e fortalecimento do livro e da literatura. “Acredito que a gente só vira o jogo – no Brasil e no mundo – com a leitura.” Em março de 2007, ela foi a primeira mulher a assumir a presidência da Câmara em 62 anos de história. Entre as propostas da nova diretoria, estão o fortalecimento da representatividade da entidade perante o Governo Federal e o Congresso; a reformulação do projeto da Bienal Internacional do Livro de São Paulo; participação ativa na modernização da lei que regula os direitos autorais no País; expansão do circuito nacional de feiras de livro e festivais literários,o desenvolvimento de mercados regionais e a implementação de políticas públicas e de ações voltadas para a formação de novos leitores.
PublishNews Entrevista - 18/02/2009 - Por Ricardo Costa
PN: Qual sua impressão do processo eleitoral?
Rosely Boschini : O processo foi muito importante porque fez a Câmara ter maior participação dos associados. Fiquei feliz porque a urna é a manifestação maior dessa participação.
PN: O que você vê nos próximos dois anos?
Rosely Boschini : Muito trabalho. Com o atual cenário econômico, e considerando que o livro e a leitura não fazem parte da cesta básica do brasileiro, a Câmara tem a responsabilidade de atuar para ampliar o mercado e a base de leitores.
PN: A bienal foi um tópico bastante presente durante a campanha. O que você tem a dizer sobre ela?
Rosely Boschini : Queremos repensar profundamente a bienal. Montamos um dossiê completo das reuniões de avaliação com os participantes, pesquisas com o público e nossas observações do evento. Agora pretendemos montar uma comissão bem representativa dos vários setores e pessoas envolvidas na realização da bienal. Queremos a participação da Libre e de pessoas de fora do mercado para trazer uma visão mais aberta do evento. Sempre privilegiando o grande público e a visibilidade da bienal.
PN:Poderia nos dar uma palavra final ao mercado?
Rosely Boschini : A única maneira de mudar e melhorar é se tivermos união. Vamos aproveitar a boa relação da Câmara com as diversas partes da cadeia produtiva do livro e unir todos num esforço único para fortalecer a literatura no Brasil. Minha mensagem é de união. Acredito que a gente só vira o jogo – no país e no mundo – com a leitura.

Nenhum comentário: