20 de fevereiro de 2009

Palavras Partilhadas indica Cão como Nós, de Manuel Alegre ( 8º livro de 2009 ... 2332 páginas lidas )

São 117 páginas alegres e comoventes que desnudam o vínculo construído sem palavras entre um Homem e o seu cão ! Kurika ... assim era o nome deste animal dotado de uma personalidade muito especial e retratado como um ser único. Apesar de assumir-se como mais um membro da família, copiando as pessoas que o rodeavam e imitando os seus comportamentos, não deixava de ignorar as regras da casa e criar as suas próprias normas. Página sim, página não, temos os relatos alternados de um narrador que apesar de o saber diferente, durante muito tempo acreditou que o cão era cão e deveria ser convencido de tal realidade. Todavia, com a sua morte, acabou por compreender que aquele era um personagem definitivo no enredo familiar. Era o olhar atento, a alegria, a aproximação silenciosa, o corpo entre os pés, as manifestações durante as apresentações musicais, a empatia, a solidariedade, a presença. Perante esta narrativa simples, dotada de uma linguagem poeticamente viva, é impossível não deixarmo-nos levar pela comoção perante a morte de Kurika. Confesso mesmo que nas derradeiras páginas não pude deixar de sentir aquela 'lágrima no canto do olho' ! Adoooooooooooooooro animais !!! Tenho 2 cães e melhor que ninguém sei e sinto o quanto eles são cães como nós ! ;)
Fragmento do livro:
- Será que o cão tem espírito ?, perguntou-me o filho do meio. Olhei para ele surpreendido. E acabei por responder: - Não sei sequer se nós próprios temos espírito ou se é o espírito que nos tem ou está em nós. - É isso o que eu queria dizer. Olha para ele. Era um fim de tarde de Agosto, o cão estava parado frente ao mar, o pêlo muito luzidio, a cabeça levantada, narinas abertas, sorvendo o ar. - Ele está a cheirar o espírito. O espírito da terra, o espírito do vento, o espírito das águas. "
Manuel Alegre in "Cão Como Nós"
(texto de Paula Silva na íntegra)
Li Cão como Nós há alguns anos atrás, numa edição portuguesa emprestada pelo Dr. Hilton Seda, à epoca em que eu trabalhava na Livraria Timbre.
No Brasil, o livro foi editado em 2008 pela editora Agir.

Nenhum comentário: