11 de julho de 2009

As Poderosas Rainhas

Tenho um vício, confesso: ler mais de um livro ao mesmo tempo. É inevitável. É como seu eu necessitasse da vida de cada um dos seus diferentes personagens - todos ao mesmo tempo me invadindo e preenchendo. Para completar a leitura do momento, conforme a lista de disponibilizei na coluna à direita, avanço nas páginas do As Poderosas Rainhas - adoro esse título, poderosas e rainhas, duas palavras de efeito positivo - pense nisso: o efeito positivo das palavras que atravessam tão sutilmente nosso cotidiano. É um livro sobre as mulheres da família - quem não tem suas memórias? Para conhecer um pouco da história, entre no hotsite que e Ediouro fez para divulgar o livro.
Mamãe e eu costumávamos conversar ao telefone sobre nossos gatos - um de nossos assuntos preferidos. Gostávamos de contar suas travessuras e escolher que artistas de cinema seriam ideais para interpretá-los num filme. Um dos gatos de mamãe, Blackie, um gato neurótico que parecia uma criança abandonada de smoking, estava passando por uma crise de ansiedade que se manifestava na trituração dos estofamentos - Ele parece sempre pronto a partir para uma festa black-tie - ela disse. - Ele é lindo, claro, até parece William Powell, mas infelizmente se comporta como Don Knotts. (p. 104)
Para mim, as duas peguntas mais difíceis de responder sempre foram: "Quem eu sou?" e "O que eu quero?". (p. 120)

Nenhum comentário: