8 de julho de 2009

Isso é Coisa de Lilly indica seu 11º Livro de 2009

A garota das laranjas, de Jostein Gaarder.
Pípol, o cara é mundialmente-universalmente-galacticamente famoso e ainda precisa colocar na capa “do autor de O mundo de Sofia”? Precisar não precisa, maaas. Como todo livro dele, você cai de cabeça, querendo viver tudo aquilo e querendo ter sido você a pronunciar/escrever aquelas palavras. Um jovem pai com câncer escreve uma carta para o filho . Ele tinha muito o que dizer, mas pouco tempo e se deixasse uma carta ao morrer esta poderia ser lida pelo filho em uma momento que ele não entendesse. A intenção é que o filho a encontrasse aos 12 anos. A carta, na verdade um manuscrito, foi encontrada quando ele tinha 15. Na carta, o pai, Jan Olav conta ao filho Georg detalhes de momentos passados juntos, com medo que o filho se esqueça dele. E diz que vai contar também uma estória. É sobre a garota das laranjas. No manuscrito, Jan intercala a estória que estava contando com detalhes da amizade deles, coisas que Georg nem se lembrava mais e que se reavivam em sua memória. A narrativa dele é intercalada com os pensamentos de Georg. Depois da morte do pai, a mãe de Georg se casou novamente e teve uma filhinha. Georg aceita bem o novo marido da mãe, e ama a irmã, então a carta do pai vem abalar um pouco o mundinho dele. Aos poucos Jan conta ao filho a estória pretendida, e nela, tudo o que um pai precisa falar para o filho em relação à vida, ao amor, sexo e morte. Veronika, a mãe de Georg é a garota das laranjas e a estória é de como se encontraram e decidiram ser felizes. Há um trecho especialmente tocante e do qual eu gostei muito: “ Perguntem aos seus pais como eles se conheceram. Pode ser que eles contem uma historia interessantíssima. Se não tiverem certeza de que eles vão contar exatamente a mesma história, perguntem a cada um separadamente.E não se surpreendam se eles ficarem sem jeito no começo. É assim mesmo. Esses contos de fada sobre os quais nós acabamos de conversar nunca são perfeitamente iguais, mas agora eu percebo, pouco a pouco, que todo conto de fadas tem regras mais ou menos rígidas, que tornam difícil falar neles.Talvez vocês devam tentar contorná-las. Nem sempre é fácil tomá-las ao p-e da letra, e existe uma coisa que a gente chama de “tato“.Quanto mais minuciosa for a história, tanto mais dá nos nervos ouvi-la, pois bastava alterar um pequeno detalhe para que o final fosse totalmente diferente, para que vocês não tivessem nascido. Aposto que há milhares e milhares de ínfimos pormenores que teriam modificado absolutamente tudo, e vocês não teriam tido a menor chance.Ou, para citar o meu inteligentíssimo pai: a vida é uma loteria gigantesca, na qual só os números vencedores são visíveis. “
A Garota das Laranjas é o 11º livro da jornada 50 livros em 2009 ( que eu não vou conseguir cumprir pois o ano já está na metade…)
Texto de Lilly na íntegra. Lector in Fabula acrescenta ao comentário final de Lilly: você já está realizando o Desafio 50 Livros, percebeu não?

2 comentários:

Ana Filipa Silva disse...

Penso que a Lilly não será a única. Eu também ainda vou no meu nono e já vi que há mais quem ande à volta da primeira dezena. O que conta, penso eu, é o prazer da leitura, da partilha do que lemos e do incentivo que damos para que os outros entrem no maravilhoso mundo dos livros. Desejo continuação de boas leituras a todos os membros da Confraria dos 50 e a todos os leitores em geral.

Nelida Capela disse...

É isso aí, Filipa. Não importa se são 10, 20 ou 50 - o que importa é que conseguimos reservar um tempo para nós e nossas leituras. Tempo de ócio criativo, como diz De Masi.