28 de setembro de 2009

Prêmio Nobel de Literatura 2009

Ainda não há data para o anúncio do Prêmio Nobel de Literatura 2009, apesar do site oficial já indicar as datas dos demais anúncios. Saiu publicada no PublishNews a bolsa de apostas:

Favoritos :

Amos Oz

Assia Djebar

Luis Goytisolo

Joyce Carol Oates

Philip Roth

Adônis

Antonio Tabuchi

Claudio Magris

Haruki Murakami

Thomas Pynchon.

Seguidos por:

Don de Lillo

Mario Vargas Llosa

Cees Nooteboom

Peter Handke

Bob Dylan

27 de setembro de 2009

Futuro Museu para Jorge Luis Borges

Li no blog de Jose Saramago que Maria Kodama, viúva de Borges e presidenta da Fundação Internacional Borges, anunciou inauguração para os próximos meses do museu para abrigar a obra e pertences do autor. Em novembro, mês em que Borges completaria 110 anos, haverá uma exposição para pré-inauguração do museu. Leia mais aqui.

22 de setembro de 2009

Os eleitos pelos leitores no último final de semana

No último final de semana de Bienal, aqueles que não puderam ir ao RioCentro prestigiaram o livro indo visitar sua livraria preferida. Eu estava na Timbre, claro, vocês sabem disso. Meu caso de amor com a Timbre não é de hoje, vem dos tempos de universitária, aluna de Letras da PUC-Rio. Todos os meus professores, sem exceção, recomendavam visitar a Timbre: "lá você encontrará livros de verdade". E encontrava mesmo, vou dar alguns exemplos: na década de 90, alguns alunos procuravam um livro escrito por Olga Borelli sobre Clarice Lispector - uma raridade! Liguei para a Timbre, pois estava com preguiça de passar lá. O Aluizio atendeu. Fiz o meu pedido e ele disse categoricamente que não tinha o livro. Humm, eu disse para mim mesma "duvido que não tenha na Timbre um exemplar guardado para mim". Mas, como fui preguiçosa, não mereci o prêmio da informação. O que foi que eu fiz? Levantei o traseiro da cadeira e fui para o Shopping da Gávea. Entrei soberba na livraria e me enfiei na estante de Literatura Brasileira. Depois de alguns minutos, estava lá, reluzente o livro. Em outra ocasião, tempo que eu me apaixonara por Ferreira Gullar, encontrei na preciosa estante de Poesia Brasileira um exemplar de um livro pouco mencionado do Ferreira, com seu nome rabiscado na capa a mão pelo próprio autor. A família Timbre tem muitas histórias para contar, Kiki que o diga! Essas coisas mágicas só acontecem lá, pois trata-se de uma livraria viva, que pulsa, que respira. Ela é pequena, mas lá você encontra de tudo. Como arrancar de mim o amor por um lugar mágico que guarda, não para si, mas para o leitor o que há de melhor: livros e histórias? A livraria é mágica, mas o toque final está nas mãos, nos olhos atentos do leitor. Então, neste último fim de semana, os leitores elegeram A Rainha do Castelo de Ar; No teu Deserto; Estive em Lisboa e Lembrei de Você como suas leituras. Lector in Fabula tem o privilégio de repassar aos leitores a recomendação de outros leitores. De quebra, fechamos o post com a sugestão de um presente muito especial para quem gosta de arquitetura e arte: Le Corbusier Le Grand!
Se você, leitor, tem alguma história curiosa de livraria para compartilhar, envie-nos!
Siga o Twitter da Timbre e revele qual o livro que marcou a sua vida? Para seguir a Timbre no Twitter, acesse: www.twitter.com/LivrariaTimbre. Faça um cadastro rápido e acompanhe as novidades da livraria e do mundo editorial. Então, vai ficar parado aí? Mexa-se!

19 de setembro de 2009

Edição Pop-Up de O Pequeno Príncipe

Edição pop-up de O Pequeno Príncipe - um livro para todas as idades! Acaba de sair pela editora Agir. Fotografei este exemplar na Livraria Timbre, que já exibe a edição na sua vitrine.

18 de setembro de 2009

Zandali, do Clube da Luluzinha, indica seu 18º livro de 2009

Se um viajante numa noite de inverno de Italo Calvino Editora Companhia das Letras.
Este livro foi amplamente discutido na rede virtual, tanto que... na época deixei de lê-lo. Muita teoria, muita análise e comecei a me preocupar com o prazer da leitura... Deixei-o de lado até que estivesse livre dos comentários todos e pudesse sentir o prazer de descobrí-lo.
Italo Calvino é sempre um prazer... mas neste livro ele supera nossa paciência e vontade de chegar ao fim da história... O livro é composto de várias histórias, todas interrompidas no ápice do nosso interesse! Ficamos navegando na vontade de saber o que vai acontecer, ligando pontos entre as histórias para saber onde ele quer nos levar... haverá um final para o rapaz apaixonado que procura pela edição de Se um viajante numa noite de inverno, comprado numa livraria com erros de impressão que o leva sempre as trinta primeiras página que se repetem em toda a encadernação?! Em todas as histórias... momentos de puro deleite: “- Toda quarta-feira, a jovem perfumada me dá uma nota de cem coroas para que eu a deixe sozinha com o prisioneiro. No dia seguinte, as cem coroas já se transformaram em muita cerveja. Quando termina a hora da visita, a mocinha sai com fedor de cadeia nas roupas elegantes, e o detento volta à cela com perfume da visitante no uniforme de preso. Já eu fico com cheiro de cerveja. A vida não passa de uma troca de cheiros.” (p.69)
E assim, sem nenhuma análise, sem nenhuma crítica sem tentar entender convido você a se deliciar com mais essa maravilha do Italo Calvino. (Texto de Tania Capel na íntegra)

17 de setembro de 2009

Parabéns para a Flipinha !

A Arte da Ficção por Lygia Bojunga

Para quem deseja enveredar pelos caminhos da ficção, mais uma dica: este conjunto de obras de Lygia Bojunga - autora de Os Colegas, A Bolsa Amarela. Neles, Lygia fala da relação do autor com seus personagens, a trama, o leitor, o livro. Este encontro é único! Agradeço Eliana Yunes, uma de minhas professoras do curso de graduação em Letras da PUC-Rio, pela generosidade em compartilhar com seus jovens alunos leituras tão valiosas. Para manter a memória viva, esse nosso encontro ocorreu em 1991. Saudades do campus, do aroma, da atmosfera, das vozes. Agora os tempos são outros.

16 de setembro de 2009

Lector in Fabula com visual Twitter

E na Bienal...

Bienal recebeu desde ídolos das adolescentes até veteranas do texto para crianças
Da gritaria desenfreada provocada por Thalita Rebouças e Meg Cabot ao papo sereno e enriquecedor de Ana Maria Machado e Ruth Rocha, os primeiros dias da 14ª Bienal do Livro do Rio foram marcados pelas escritoras. Enquanto a brasileira Thalita e a americana Meg faziam suas fãs urrarem com um simples arrumar de cabelos, as veteranas Ana Maria e Ruth foram responsáveis, na tarde de sábado, por um dos mais agradáveis encontros do Café Literário, certamente o espaço mais bem resolvido da feira. O tema do debate era “40 Anos Formando e Encantando Leitores” e, ao longo dessa retrospectiva, Ana Maria e Ruth reconheceram que ambas tiveram o mesmo "pai literário", Monteiro Lobato. "Ele nunca teve medo de falar de questões sociais", explicou Ruth. "Em seus livros é possível encontrar temas como o petróleo, a reforma agrária, a guerra." Já Ana lembrou das diferenças de se escrever para adultos e crianças.
Fonte - 15/09/2009 - Ubiratan Brasil e Roberta Pennafort

14 de setembro de 2009

Carolina Pinho fala sobre o curso "Caminhos da Ficção Literária"

Sou uma leitora voraz (estou bem no desafio dos 50) extremamente democrática, leio de tudo, de todos os gêneros sem distinção. Quando a Casa do Saber anunciou o curso “Caminhos da ficção literária” ministrado por Ana Maria Machado nem precisei pensar muito para me inscrever. Afinal se já não bastasse Ana Maria ser uma das minhas autoras favoritas na infância também cunhou uma das mais bonitas frases sobre o porque escrever - “li tanto que transbordei”. O curso mostra o processo do escritor durante a feitura da obra. Falamos da estrutura da narrativa, da pesquisa feita para auxiliar na escrita, das referências conscientes e inconscientes que se apresentam no texto, enfim papo de gente que gosta de livros e de literatura. Como não podia deixar de ser nas duas horas de conversa surgem uma série de dicas de leitura. Os dois volumes de entrevistas com escritores feitas para a Paris Review e editadas pela Cia. das Letras são imperdíveis. A entrevista de Hemingway é particularmente boa. Para os leitores mais novos, uma dica é “Uma Vontade Louca” de Ana Maria Machado, que fala sobre a arte de escrever.
Texto Especial de Carolina Pinho para o Lector in Fabula.

Mapeamento de Bibliotecas no Brasil

Bibliotecas

Fonte - 11/09/2009 - Tatiana Sottili

O Ministério da Cultura, por meio doPrograma Mais Cultura, contratou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) para realizar levantamento das condições das bibliotecas públicas municipais brasileiras. Os técnicos da fundação iniciaram os trabalhos de campo na terça-feira, dia 8. Os dados apurados pela pesquisa deverão ser apresentados em dezembro deste ano. A ação contribuirá para o aperfeiçoamento da base de dados do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) da Fundação Biblioteca Nacional (FBN); subsidiar o MinC com informações necessárias ao planejamento, acompanhamento e otimização dos investimentos na área de livro e leitura e contribuir para que o governo federal cumpra a meta estabelecida de zerar o número de municípios brasileiros sem biblioteca pública municipal.

Fonte: PublishNews

13 de setembro de 2009

Um livro ainda não comentado

A Costureira e o Cangaceiro é um livro que conta a história de duas órfãs que residem no interior de Pernambuco. Uma delas, Luzia, sofre um acidente e fica deformada, tornando-se a aberração da localidade. Num dia, cangaceiros invadem a cidade e Luzia é levada. A outra irmã, que fica na cidade, acredita que Luzia foi morta. Anos depois, a verdade é revelada durante uma viagem de navio para os Estados Unidos. Eu estava na livraria e abri uma página para ler. Não conseguir desgrudar. Confesso, há algum tempo um romance sobre o Brasil não me pesca. Este livro me lembra a atmosfera de leitura quando li O Memorial de Maria Moura, da nossa querida e saudosa Rachel de Queiroz. Fui praticamente abduzida pelo livro. A Costureira e o Cangaceiro foi escrito por Frances de Pontes Peebles, filha de brasileira casada com americano. Frances passa férias no Brasil na mesma cidade onde a trama do livro discorre. Tenho a impressão de que trata-se de um romance baseado em fatos reais. A Nova Fronteira acaba de traduzir o livro, cujo original em inglês recebeu já dois prêmios.

12 de setembro de 2009

Do Lixo, o Luxo: O Livro

Uma biblioteca tirada do lixo
Bruna Maestri Walter - Gazeta do Povo - 3/9/2009
Foi-se o tempo em que os catadores da Vila das Torres, em Curitiba, julgavam o valor de um livro pelo preço do papel que ele continha. Antes, mesmo os livros encontrados em bom estado rapidamente eram transformados pelos catadores em meras pilhas de papel. Livros em preto e branco eram os favoritos: contam como “papel limpo” e rendem R$ 0,30 o quilo. Páginas coloridas rendem bem menos: só R$ 0,03 a cada quilo coletado.No dia 3 de setembro, oficializou-se a mudança de postura na vila. Foi inaugurada uma biblioteca montada justamente com os livros encontrados no lixo. Antes mesmo da inauguração oficial, a coleção já vem mudando aos poucos a vida da população. Leia a matéria toda aqui!

Cartier-Bresson...

Na Vitrine da Livraria Timbre.

10 de setembro de 2009

Proposta Invadora da Editora Hama

Saiu hoje no Ancelmo Gois e foi enviado por Rita Braune para o blog Lector in Fabula: Livro a Jato

Durante os dez dias da Bienal, que começa hoje, a Hama Editora vai, veja só, produzir e lançar um livro. "Contos de Todos Nós" reunirá 20 textos selecionados por um júri, para lançamento no último sábado da feira.

Quer entrar no concurso? Não seja por isso. Basta ir à Bienal no primeiro fim de semana e entregar seu conto no estande da editora, que, além de descobrir novos autores, quer demonstrar como pode ser ágil a produção literária.

Lector in Fabula recomenda a leitura do Blog Meia Palavra

Ruberto Palazo além de fazer parte da Confraria dos 5o, tem o blog Máfia dos Pavões e também participa do blog Meia Palavra. Lector in Fabula sugere a visita ao Meia Palavra e a leitura da entrevista feita com Samir Mesquita, escritor nascido em Curitiba, criado em Minas Gerais e que hoje vive em São Paulo.

6 de setembro de 2009

Releituras (1)

Há certos livros que passam pelo mundo da literatura de forma muito discreta e que de repente torna-se necessária a sua releitura, por exemplo A Jararaca A Perereca e A Tiririca, de Ana Maria Machado, que magistralmente Diogo Mainardi faz ressurgir em sua mais recente coluna da Veja - edição desta semana. Li esse livro na faculdade e achei-o fantástico. Um livro simples que trata dos direitos civis numa fábula - é ou não um dom dos escritores de verdade? Quem não leu, leia! Outros dois livros que quero reler são Como me Tornei Estúpido, de Martin Page, editado pela Rocco, na Coleção Safra XXI; e o outro é Cosmópolis, de Don Delillo, editado pela Companhia das Letras. Estes dois livros retratam os tempos atuais: transitoriedade, imbecilidade, queda, ascensão, valores familiares, valores morais, conflitos, capital. Em Cosmópolis, o personagem principal, um multimilionário, em 24 horas horas sofre todo tipo de corrosão. Essa é a palavra corrosão. Como me Tornei Estúpido é um nonsense fantástico e delicioso de ler. Não vou mencionar detalhes. Confiem. Não perderão tempo com as três leituras. Depois de lê-los, enviem as impressões de leitura.

Boca a Boca (1)

Clientes da Timbre me indicaram: Trem Noturno para Lisboa, de Pascal Mercier, da Editora Record. A história de um professor suiço que abandona a antiga vida e vai para Lisboa. Um livro que fala de mudanças de vida e quebra de paradigmas. Fiquei intrigada e com vontade de ler o livro.

1 de setembro de 2009

Mais Eventos Literários

Depois da FLIP, antes da Bienal, para quem estiver em Santos, a Tarrafa Literária. Clique aqui e saiba mais sobre o evento.

Escritoras Brasileiras em Alta

Primeiro Congresso de Escritoras Brasileiras de Nova York

A Brazilian Endowment for the Arts (BEA) informa que o Primeiro Congresso de Escritoras Brasileiras em Nova York se realizará nos dias 14, 15, 16 de outubro próximo nos estúdios da New York Film Academy, que se encarrega da filmagem e transmissão do evento.

O objetivo desse Congresso será homenagear a escritora brasileira e sua mestria da arte literária nas figuras de Nísia Floresta, Cecília Meirelles e Clarice Lispector. Depois de uma palavra de S.E. o Embaixador do Brasil e uma apresentação do Prof. Emérito Gregory Rabassa, o congresso se abrirá oficialmente com uma introdução de Ana Maria Machado, da Academia Brasileira de Letras. Em cada dia haverá mesa redonda e debates, pela manhã e à tarde, finalizando com sessão de um dos artesanatos de conto, poesia, e tradução.

Saiba mais aqui.

Fonte: Blog do Galeno