9 de abril de 2010

Comecei a ler...

Doutor Pasavento, do escritor catalão Enrique Vila-Matas.
"E eu, com quem me pareço? Certamente tenho algo de eqilibrista que, numa alameda do fim do mundo, está caminhando pela beira do abismo. E acho que me movo como um explorador que avança no vazio. Não sei, trabalho em meio a trevas e tudo é misterioso. Só sei que me fascina escrever sobre o mistério de que existia o mistério da existência do mundo, porque adoro a aventura que há em todo texto que se põe em marcha, porque adoro o abismo, o próprio mistério, e adoro, sobretudo, essa linha de sombra que, ao ser atravessada, nos coloca no território do desconhecido(...)"
Este é um trecho da contracapa do livro que comecei a ler. Adoro contracapas e acho de um talento aquele ou aquela que sabe escrever uma contracapa sedutora como esta - impossível não desejar entrar neste livro, foi o que aconteceu comigo! Parabéns ao tradutor José Geraldo Couto, que soube passar para o português o contundente idioma catalão.
Entro em mais uma aventura. Quando acabar, falo da leitura!

Nenhum comentário: