15 de maio de 2010

Desafio 50 Livros 2010: Lilly indica o 11º Livro de 2010

A Hospedeira de Stephenie Meyer.

Eu já disse aqui que conheci Stephenie no programa da Ellen Degenerese me encantei com a escritora, tão jovem e inteligente. Dos livros de vampiros só consegui ler Crepusculo. O resto não desceu.

A Hospedeira é um excelente livro de ficção.

Logo no inicio já ficamos sabendo que uma raça alienígena inteligente e boa foi aos poucos se apossando dos corpos dos humanos ( lembrem de Invasores de Corpos, e agora, “V”). Não se sabe como isso começou, o que é até bom, deixa em aberto para a imaginação. A intenção dos ET s é acabar com a dores, as guerrras, o mal que se instalou entre os seres humanos.

Ainda há humanos “selvagens” cujo corpo não é habitado pelas almas dos alienigenas. Melanie é uma destas pessos, e quando vê que vai ser capturada, joga-se num poço de elevador, tentando a morte. Não consegue, pois é resgatada e curada pela Almas Curadoras que possuem medicamentos capazes de curar qualquer doença. Em seguida é implantada em seu cerebro Peregrina, uma alma evoluida que já viveu em vários planetas, sempre como parasita de uma raça.

Melanie porem é muito forte, e revoltada, começa a duelar mentalmente com Peregrina. Aos poucos, a alma que só sente amor e compreeensão começa a se acostumar com a voz e Melanie. Ela bombardeia Peregrina com imagens e lembranças das pessoa amadas: seu irmão Jamie e seu amor Jared.

As “duas” partem então em busca dos outros com quem a humana vivia anteriormente.

Há um odio imenso da parte dos humanos em relação às almas, e quando Peregrina/Melanie reencontra seus amigos é espancada, torturada e quase morta inclusive pelo homem que amava. Jared não se conforma de Melanie ter sido “colonizada” e hostiliza Peregrina. Sem querer Peregrina tambem se apaixona por Jared, e acontece um triangulo amoroso entre dois corpos. E uma alma.

Stephenie é muito criativa em narrar os mundos alienigenas e as almas, e a intrincada fortaleza onde moram os humanos remanescentes.

O que se percebe é que apesar de colonizar os adultos, as crianças nascidas destes seres não são habitadas por almas, pois crescerão conhecendo apenas o amor.

(Texto de Lilly na íntegra)

Nenhum comentário: