22 de maio de 2010

Romance LXXXIV ou Dos Cavalos da Inconfidência

(Fragmento)

Eles eram muitos cavalos,

ao longo dessas grandes serras,

de crinas abertas ao vento,

a galope entre águas e pedras.

Eles eram muitos cavalos,

donos dos ares e das ervas,

com tranqüilos olhos macios,

habituados às densas névoas,

aos verdes prados ondulosos,

às encostas de árduas arestas,

à cor das auroras nas nuvens,

ao tempo de ipês e quaresmas.

3 comentários:

Nelida Capela disse...

Um dos mais belos poemas da Literatura Brasileira. Um dos mais negros momentos da História Brasileira.

Rita Braune disse...

Maravilhoso !!!!!

jdariosjunior disse...

Coisa linda!! Essas mulheres....maravilhosas!!