7 de março de 2011

Literatura Russa


Sempre tive vontade de ler...Tenente Quetange, de Iuri (Yuri) N. Tyniánov, editado pela Cosac Naify.

Sinopse da editora:

Ao empregar mal um clichê da burocracia (a expressão “que tange”), um amanuense do século XIX “mata” um tenente que está vivo e “dá vida” a um improvável Tenente Quetange. O teórico formalista Iúri Tyniánov (1894-1943) saiu-se bem com esta sátira ao autoritarismo, uma bem-humorada incursão pela narrativa de ficção, escrita em 1928. A obra foi adaptada para o cinema e musicado por Prokófiev.

Nenhum comentário: