25 de fevereiro de 2011

Romance Policial Japonês

Mais um título de Natsuo Kirino traduzido para o português pela editora Rocco -o anterior foi o premiado Do Outro Lado. 

Sinopse da Editora:
O assassinato de duas prostitutas, ambas ex-estudantes de uma escola para moças de elite em Tóquio, é o ponto de partida do romance Grotescas, que reconstitui a vida das duas vítimas e da narradora do livro, irmã de uma e ex-colega de escola da outra. Filha de uma japonesa e um suíço, a narradora sem nome é atormentada ao longo de toda sua vida por profundos sentimentos de inadequação e rancor, frutos de sua origem mestiça e da constante comparação com sua irmã, Yuriko, dotada de uma beleza fora do comum. Em Grotescas, a prestigiada Natsuo Kirino deixa de lado a investigação policial para compor um painel de vidas torturadas ocultas sob uma aparência de normalidade, esmagadas pela dificuldade de adequação aos códigos sociais, cujo potencial jamais se realiza, e ilustra um Japão raramente retratado na ficção. A narradora do romance investiga o que teria levado duas ex-alunas de um colégio de elite a prostituir-se nas ruas; reconstrói as memórias de sua família e da difícil relação com a irmã; as dificuldades de aceitação na elitista Escola Q Para Moças, com seu rígido sistema de castas definidas por origem, renda e aparência e sua obsessão pela genética, que a leva a imaginar a aparência de filhos que teria com os homens que conhece e a comparar as pessoas a plantas e a animais pré-históricos. Ao receber o diário da irmã após sua morte, a narradora cede espaço a Yuriko, que relata em primeira pessoa a descoberta da sensação de poder e libertação que o sexo lhe confere, além de confessar como extraía prazer de sua própria degradação. A outra vítima, Kazue, estudante de família pobre extremamente ambiciosa e esforçada, embora incapaz de compreender os códigos de comportamento das estudantes do colégio Q, sofre constantemente ao tentar ajustar suas possibilidades às suas ambições, o que atrai o desprezo da narradora.




17 de fevereiro de 2011

Escher em Alta no Rio de Janeiro


Exposição no CCBB até Março.
Na Livraria Timbre encontrei os caleidociclos - redes de triângulos equiláteros, você sabia?

16 de fevereiro de 2011

14 de fevereiro de 2011

12 de fevereiro de 2011

Voltando para o mundo dos livros


Sábado é dia de livraria! Hoje visitei a Livraria Timbre, há pelo menos um mês eu não passava lá, um absurdo! Encontrei muitas, muitas novidades. Vou publicando aos poucos.

Nesta bela e ilustrada edição das crônicas de Joaquim Manuel de Macedo comprovamos que muitos problemas do Rio de Janeiro do século XIX permanecem insolúveis no século XIX, por exemplo, as chuvas e enchentes. Vale a pena ter esse registro histórico na biblioteca. 


11 de fevereiro de 2011

Desafio 50 Livros 2011


Por vezes lemos mais, por outras menos. O que permanece é o carinho e o desafio de ter sempre por perto os livros. Em 2010, demos pouca notícia, compartilhamos menos. Mas em visita aos blogs, pude ver que todos estão lendo e mobilizando pelo livro, cada um do seu jeito. O desafio de ler nunca foi tão expressivo como agora, quando temos disponível tantas tecnologias para a leitura. Enquanto houver histórias a serem contadas, existirão ouvintes. Enquanto houver memória, teremos livros e devoradores de livros para ler a memória de histórias bem contadas! Vamos ao Desafio 50 Livros 2011, cuja imagem expressiva do Devorador de Livros eu tomo emprestada. 

PS: Tenho quase certeza de que essa imagem foi feita por Ziraldo -de onde tirei, não havia crédito, mas o traço é característico.

7 de fevereiro de 2011

Brasília: arquivo aberto ao público

Entre 2003 e 2005 os artistas Lina Kim e Michael Wesely vasculharam arquivos públicos e privados num ambicioso trabalho de levantamento, catalogação e restauração de fotografias sobre a construção de Brasília, muitas delas inacessíveis ao público e com risco de desaparecimento. Os dois realizaram um trabalho monumental de pesquisa e tratamento de imagens, partindo de aproximadamente dez mil originais, até chegar a uma edição final de 1400 imagens.


O resultado pode ser conhecido agora em Arquivo Brasília, livro definitivo sobre a epopeia da construção da capital federal. Além do expressivo material fotográfico, em cores e P&B, que vai das primeiras expedições de Kubitschek ao terreno, em 1956, passando pelas obras iniciais, a construção dos edifícios, até a inauguração da capital, em abril de 1960, e as décadas seguintes, a edição inclui ainda textos teóricos de críticos reconhecidos e também uma entrevista com o arquiteto Lucio Costa.

(texto da editora Cosac Naify)

6 de fevereiro de 2011

Lendo mais sobre o Facebook

Comecei a ler nesta semana e nas primeiras páginas pude confirmar aquilo que penso unir tantas pessoas diferentes nas redes sociais: "o efeito Facebook acontece quando a rede social põe as pessoas em contato umas com as outras, às vezes de forma inesperada, em torno de algo que tenham em comum: uma experiência, um interesse, um problema ou uma causa(...)". Vale a pena a leitura de mais este livro sobre o fenômeno de comunicação que está transformando a forma como nos relacionamos com os outros.

Leia+ no site da Editora Instrínseca.