30 de novembro de 2011

Sugestão de Leitura da Lilly

Sem duvida o melhor livro que li nos ultimos tempos.É a estória de uma familia, uma estória de amor, de vida e de luta, narrada por um cão terrier, Enzo.Já em seus ultimos dias de vida, Enzo relembra como foi que entrou na vida de Denny, um piloto de corridas, de como compartilhou com ele sua paixão pelas pistas. Para que Enzo não se sentisse abandonado, Denny deixava a TV ligada no canal “National Geographic”. Foi assistindo a estes programas e documenários que Enzo formou sua opinião sobre as coisas do mundo.No livro, várias referencias ao ídolo de Enzo e Denny, Airton Senna. Intercalados aos capitulos em que o cão conta a sua vida na familia de Denny, capitulos curtinhos em que ele fala sobre corrida e pilotagem, e como estas noções usadas no esporte podem ser transportadas para a vida real.Enzo é sábio e entende porque veio ao mundo.Eu recomendo a TODOS que amem cães.Para que entendam que o que nos é oferecido no pacote quando adquirimos um cão é muito mais que companhia.Cães não falam, mas como entendem um ser humano!

Suplício de Papai Noel

E uma vez, tentaram combater o consumismo de Natal. 
Saiba neste ensaio de Lévi-Strauss.
Leitura altamente recomendada!


No Natal sempre me cobro esta leitura!


29 de novembro de 2011

28 de novembro de 2011

Guerra e Paz: edição definitva


Tradução direta do russo por Rubem Figueiredo.
Edição primorosa da Cosac Naify.
Presentaço de Natal!

24 de novembro de 2011

Para complementar a leitura de Sangue, Ossos & Manteiga

Comer e Cozinhar com Gabrielle Hamilton

Novidade chegando para o Natal. Quem gostou de ler Cozinha Confidencial, de Anthony Bourdain, editado pela Companhia das Letras, vai gostar de Sangue, Ossos e Manteiga, de Gabrielle Hamilton, editado pela Rocco. Já estamos com um em mãos para experimentar, quero dizer, ler :o) 

Leia abaixo a sinopse da editora:


Quando criança, Gabrielle Hamilton, atualmente proprietária do badalado restaurante Prune, no East Village, em Nova York, viveu em fazendas e teve contato com a vida pulsante do campo, suas densas florestas, riachos e seus celeiros centenários. Neste cenário exuberante e bruto, a autora, filha caçula de uma leva de cinco irmãos, constrói as primeiras páginas de Sangue, ossos & manteiga, seu autobiográfico romance de estreia.

O livro, que lança o leitor em um mundo sensorial pleno de imagens, cheiros e texturas, vai além de um registro de memórias escrito em primeira pessoa e capaz de revelar a trajetória pessoal e profissional da chef de cozinha. Gabrielle Hamilton investe na narrativa, nos detalhes e sentimentos das personagens descritos minuciosamente sem perder a leveza. A relação com os pais, particularmente com a mãe, francesa e muito habilidosa na cozinha, se desenha através dos acontecimentos e também da impressão que eles causam.

As caminhadas com a mãe na primavera, na floresta próxima da casa da família, despertaram na escritora os sentidos tão preciosos para quem lida com odores e sabores. Desta maneira, rememora, ela aprendeu, por exemplo, a distinguir os verdadeiros chanterelles de seus similares alaranjados venenosos e a colher dente-de-leão e montar uma salada, usando muita gordura, ovos e bacon para temperar o amargor. Enquanto a maioria das mães estava sempre alerta pra impedir que seus filhos enfiassem pedaços de pau, pedras ou insetos na boca, a sua, pelo contrário, a “trancava fora de casa” todos os dias, mesmo na chuva, e demonstrava como comer lesmas e grama.

O aprendizado de Gabrielle também incluiu a separação brusca dos pais. Este fato que deixou traumas a obrigou a olhar o mundo e as complexas relações humanas com maior maturidade. As dificuldades financeiras, a sensação de ter sido abandonada pelos pais, principalmente pela mãe, e também sua sagacidade a impulsionaram a procurar os primeiros trabalhos em restaurantes ao mesmo tempo que concluía os estudos do ensino médio.

Aos 16 anos, apostando no melhor, mudou-se para Nova York levando consigo apenas 235 dólares no bolso. Mas esta era ainda uma mudança provisória, pois ela retornaria para sua cidade natal devido às complicações e encrencas arrumadas na metrópole.

Assim, sem nenhuma decisão ou desejo consciente de sua parte, a autora acumulou 20 anos de experiência na cozinha, contados a partir do bico lavando pratos na adolescência. Gabrielle trabalhou para bufês, colônias de férias, restaurantes, fazendo contato com uma diversificada gama de clientes e paladares: de crianças que comiam feito porcos a apreciadores e conhecedores do ofício, gente capaz, por exemplo, de diferenciar um lingueirão de uma lula.

Ao mesmo tempo uma grande inquietação a movia, fruto do contato com artistas e escritores. As vésperas de seu trigésimo aniversário ela pensa em investir na carreira literária. Algum tempo depois se matricula no curso que a tornará mestre em belas-artes, na área de literatura, pela Universidade de Michigan.

Sangue, ossos & manteiga prova que ela se tornou uma pessoa bem-sucedida em ambas as áreas: a cozinha e a literatura. Seu restaurante, na prática um lugarzinho independente de trinta lugares, cujas reservas são disputadíssimas, consegue faturar anualmente dois milhões de dólares; seus textos, celebrados e publicados no The New York Times e nas revistas GQ e Bon Appetit, seduzem leigos e especialistas. No livro, ela junta seus maiores talentos para narrar sua trajetória – da infância à maturidade, passando pelas hesitações da juventude –, e fisga o leitor pelo estômago com sua prosa de dar água na boca.

Não deixe de conferir também o site do livro Blood, Bones & Butter

22 de novembro de 2011

Ines de la Fressange


Além do livro ser um charme, a começar pela capa, as dicas são maravilhosas, principalmente aquele que fazem emergir a beleza interior.

A edição é da editora Intrínseca, que fez a capa do livro como se fosse um Moleskine. Vejam aqui.

Uma bela dica de presente de natal. Comecem a anotar aí!

21 de novembro de 2011

Vai chegar e parece ser muito bom: Os Filhos da Viúva

Parece ser um daqueles romances que envolve do início ao fim, com personagens fortes e mistérios de família. Assim que chegar às livrarias, vou procurar ler.

Fica a sinopse da editora para vocês terem ideia do quão interessante parece ser.

Laura Maldonada Clapper, beldade cinquentona autoritária, vai fazer uma viagem de navio à África com o marido, Desmond, um homem pusilânime e com queda para a bebida. Na véspera da partida, ela recebe em seu apartamento um pequeno grupo: Clara, a tímida filha de seu primeiro casamento; Carlos, seu irmão gay, crítico de música fracassado; e Peter, um editor amigo da família. No bota-fora, que se prolonga noite adentro num restaurante caro, à medida que o álcool vai fazendo efeito emergem podres e interditos dos Maldonada, família de origem hispano-cubana cuja matriarca, Alma, a viúva do título, está internada num asilo. Antes do fim dessa longa noite, porém, Laura revela uma informação que vinha mantendo em segredo. A revelação lança novas luzes a tudo o que aconteceu até então. O efeito é vertiginoso tanto sobre os outros personagens como sobre o leitor.O resultado é uma prosa densa, repleta de tensão e surpresas, que convida o leitor a descobrir as verdades ocultas por trás de silêncios, olhares e alusões.

Conheça Paula Fox no site da editora Companhia das Letras

7 de novembro de 2011

Sugestão de Leitura da Lilly


Jacob Jankowski  tem93 anos e vive em uma casa de repouso. A chegada de um circo na frente do asilo e o comentário de um dos internos desperta nele lembranças sobre seu passado.Aos poucos entre as lembranças do passado e seu presente vamos conhecendo a história de Jacob, aos 23 anos e no último ano de veterinária.Seus pais morrem.Filho único, fica atordoado com a perda e descobre depois que para mante-lo na faculdade seus pais pagavam a segunda hipoteca da casa. Sem familia, nem bens, sai sem rumo até cruzar com um trem que transporta o circo irmãos Benzini.Entra como clandestino no trem, e passa a integrar a troupe.A escritora fez uma pesquisa excelente sobre como era a vida dos que trabalhavam em circos no começo do seculo, tanto os artistas, como os trabalhadores braçais. A tirania de Tio Al, o dono do circo,August seu administrador e apresentador casado com Marlena, um anão, agora são são as pessoas que vão substituir a familia de Jacob. No livro que li, Robert Vampiro Pattinson e Reese Linda de Viver Whiterspoon ilustravam a capa, então é impossivel não imagina-los na pele de Jacob  e Marlena. Nao assisti o filme, mas adorei o livro.


Título: Água para Elefantes
Autora: Sara Gruen
Editora: Sextante
Blog Isso é Coisa de Lilly

Dia de Cecilia Meireles

Faria hoje 110 anos.

Para o dia de hoje:

"Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda."  Cecilia Meireles