16 de fevereiro de 2012

Histórias de Livreiros (3)


Não importa em qual livraria estamos, seja a mais bonita do mundo, a menor da cidade, a mais charmosa, a mais midiática, o importante é ser bem recebido quando entramos no Templo. Para receber os leitores, é importantíssimo ter livreiros afáveis e educados - estes também precisam seguir um protocolo de boas maneiras. Ao entrar o leitor na livraria, é importante olhar seus olhos para que seja feito o primeiro contato entre cúmplices...os cúmplices da leitura. Como dizia a minha avó, sempre dar Bom Dia, Boa Tarde ou Boa Noite - isso é educação, antes de mais nada. O livreiro deve estar sempre em prontidão para quando o cliente precisar - a gente não precisa ficar cercando o leitor, deixe-o viajar pela livraria para que ele tenha seus momentos com os livros. Muitas vezes não é o leitor que escolhe o livro, mas o livro que surge para ele. Reparem, isso acontece mesmo! O livreiro deve manter-se informado, saber das exposições que estão na cidade, os livros que viraram filme e estão em cartaz (assim como as peças de teatro), estudar as datas comemorativas de escritores, acompanhar os eventos literários e quais escritores estão envolvidos (Bienal e FLIP, por exemplo), ler os suplementes literários nacional e os principais do estrangeiro - por exemplo, não deixe de consultar o The New York Times Book Review, The New Yorker, Le Figaro, Clarín e por aí vai. Dizer que deve estar a par dos lançamentos que estão na mesa nem se fala, isso é default, imprescindível. Já vi muito livreiro corar por não ter lido sequer um sucesso do momento - isso é a morte...do livreiro, seu prestígio cai por terra. Outra coisa, nada de lamentos sobre o estoque da livraria, sobre a consignação devolvida, se alguém esqueceu disso ou daquilo, cliente não tem nada a ver com isso, nem quer saber. Mantenha a discrição! Eu tenho um pouco de TOC, estou sempre passando as mãos nos livros e arrumando, pois livraria bagunçada é o fim da picada, convenhamos! No final das contas, importante sempre é ser autêntico e leal com o leitor, pois este confia em nós quando pergunta pela nossa sugestão de leitura e não há nada pior do que trair essa confiança. Uma coisa que muitos esquecem, e que é ainda mais importante, ser amigo dos livros e tratá-los com respeito, não desmerecê-los. Todo o livro tem uma história para contar e um leitor que ficará agradecido por ouvi-la, portanto, livreiros,  trabalhem com o livro e não contra ela, não importa se é caro ou não, se a capa é feia ou bonita, se o papel é assim ou assado, o que importa é o texto. 

Não esqueça, cliente/leitor há de todos os jeitos, mas livreiro mal educado e estúpido ninguém merece...

Na próxima semana vou falar para vocês sobre aquela frase que todo, mas todo cliente de livraria diz: "quem trabalha em livraria lê o dia inteiro né?" É, vou contar como é...

Nenhum comentário: