9 de julho de 2012

Enrique Vila-Matas: Musica para Malogrados


Apesar de ter ido à Festa Literária de Paraty pela primeira e a trabalho, tive a sorte de assistir 03 excelentes mesas e palestras. Destaco a de Enrique Vila-Matas, que numa performance excepcional apresentou Musica para Malogrados, inciado e finalizado em companhia de outros textos especiais para a palestra - um texto híbrido que continha elementos de ensaio, ficção e biografia. O mesmo fez Rosa Montero em seu texto, também híbrido, A Louca da Casa. Vila-Matas sentou-se à mesa e apresentou-se como Antonio Tabucchi. Ainda bem que Vila-Matas leu seu texto em espanhol, se fosse catalão perderia a graça na interpretação simultânea e seria um outro texto. Em um dos trechos do texto, Vila-Matas diz que os escritores deveriam ser lidos e não vistos, e que talvez a literatura tenha chegado a um momento de colapso. Silviano Santiago acompanhou a palestra inteira. Outros ouvintes abandonaram a arena - talvez não tenham aguentado a realidade e a lucidez descrita por EVM. Sobre as sombras de pessoas e personagens que aparecem na obras e EVM, na Tenda dos Autores ele tornou-se seu próprio personagem: um homem que no telão observa o escritor que observa e acompanha outro escritor dentro do texto. Só lendo a obra para ver os enigmas que acompanham este escritor tão fiel ao seu ofício.



Nenhum comentário: