11 de março de 2013

Do mesmo autor de A Sombra do Vento: O Príncipe da Névoa

Carlos Ruiz Zafón se destaca na Espanha por  seus romances fantásticos. A Sombra do Vento, seu maior sucesso no Brasil, é o que chamo de um romance "ratoeira" - no começo parece que nada vai acontecer, de repente, tudo acontece e deixa o leitor sem fôlego a cada página virada. 

Neste seu romance inaugural, Zafón  ensaia, a meu ver,  O Jogo do Anjo, exercício da maturidade de um romance fantástico, com elementos da luta do Bem contra o Mal (que reside no interior do ser humano), amores impossíveis, terror, suspense e livros. Um jardim de estátuas (um cemitério?), personagens de circo (um palhaço sinistro), jovens ao encontro do seu primeiro amor, um menino destemido e corajoso, amor paterno, um farol, um navio náufrago e misterioso.  

Recomendo essa leitura para os jovens a partir de 15 anos que se encantam com bons romances. Para quem já leu O Jogo do Anjo, O Príncipe da Névoa é leve, mas de longe é uma leitura desperdiçada. Li em dois dias, mas com tempo, devora-se em algumas horas. 


Um comentário:

livroseoutrasfelicidades disse...

Adoro o Zafon, mas talvez pule este aqui...